Sociedade

Portugueses esgotaram aulas de sexo do Eros Porto

O Eros Porto – Salão Erótico do Porto voltou a bater todos os recordes. Elevada adesão a atividades educativas e de entretenimento, mais casais e mulheres de todo o país, maior número de visitantes estrangeiros e aumento da procura por passes de quatro dias marcaram esta 11ª edição que ultrapassou as 25 mil entradas.

Os portugueses estão cada vez mais interessados em aprender tudo sobre sexualidade. No 11º Eros Porto – Salão Erótico do Porto, que abriu portas quinta-feira e termina esta noite, os visitantes esgotaram por completo as diferentes aulas de sexo, com destaque para o sexo oral, masturbação, utilização de brinquedos eróticos, assim como as palestras dedicadas à melhoria dos relacionamentos.

Nesta edição, que ultrapassou os 25 mil visitantes, foram ainda alcançados outros recordes. Continua a registar-se uma crescente adesão não só de casais, como também de mulheres que, sozinhas ou em grupo, procuram espetáculos inusitados e informação sobre diferentes vertentes da sexualidade. Segundo explica Juli Simón, diretor do Eros Porto, “para além da participação de pessoas de todo o país, inclusive das regiões centro e sul, é surpreendente recebermos cada vez mais visitantes estrangeiros, de toda a Europa, mas também da América do Sul e de África”.

O interesse pelo único evento erótico português tem aumentado ao longo dos anos e há quem já não queira ficar-se apenas por uma visita ao longo dos vários dias. “Este ano verificamos um aumento da procura por passes de quatro dias, sinal de que ninguém quer perder nada do que acontece no nosso evento, mas também da fidelização do visitante do Eros Porto”, sublinha Juli Simón.

Esta edição fica ainda marcada pelo tema da transexualidade e a participação do Centro Gis como convidado de honra. “Estamos muito satisfeitos porque cumprimos o nosso papel social, o de sensibilizar o público para questões ainda fraturantes na sociedade. Quisemos contribuir para o combate ao preconceito e para um maior respeito e compreensão da situação das pessoas trans”, refere o diretor do Eros Porto.

O Salão Erótico do Porto 2018 contou com um número recorde de espetáculos – mais de 1200 –, de artistas – mais de 140, provenientes de vários países da Europa e da América do Sul – e de expositores, entre lojas de artigos e vestuário erótico, produtoras e restauração, entre outros, ao longo de dois pavilhões da Exponor. Para além disso, houve exposição de mais dimensões artísticas e a realização de mais conferências e palestras, num evento em que o entretenimento continua a ser a principal vertente.
Foto: Hugo Viegas

Show More

Related Articles

5 Comments

  1. Foi dos anos mais calmos. Gostei da aposta na restauração, nas novidades apresentadas mas muito pouca sensualidade.Mulheres expostas de forma negativa.

  2. Gostei desta edição. Vi muitos casais, oferta de material, partilha de ideias, arte(…) o salão prova que o sexo entre casais deixou de ser o tradicional… ainda bem.

  3. Passei lá na sexta-feira. Ainda assisti a um Workshops na zona swinger. Eu só me ria. Juro que não entendo os dados da organização. Aquilo é mau a todos os níveis. O que dizem, como dizem, a imagem das “apresentadoras”(…). O sexo deixou de ser uma coisa bonita para muitos deixando-se cair na vulgaridade. Chamam-lhe Salão Erótico. De erotismo não tem nada. É mais um espaço porno “badalhoco” do que uma feira que quer abrir mentalidades. Mau…muito mau…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close