NotíciasVideos

(Com Vídeo): Parque do Buçaquinho uma simbiose entre o homem e a natureza

É um parque de sucesso, uma referência na região e já no país. A Câmara Municipal de Ovar mostrou, em Abril de 2013, como se transforma uma antiga ETAR num parque urbano de lazer. Com uma área de 24 hectares, o Parque Ambiental do Buçaquinho, situado no norte do concelho, em Esmoriz, é cada vez mais um local de passagem obrigatória.

A relva está espalhada por 30 mil metros quadrados e mais de 5 mil árvores foram ali plantadas. Existe um vasto jardim de plantas aromáticas, onde os odores a caril, alecrim, anis, manjerona, malva, cravo do mar, orégãos, flor do tabaco, tomilho, camarinhas não passam despercebidos a quem percorre pelos passeios de madeira. Existem ainda cinco lagoas artificiais que servem de porto de abrigo de muitas aves, dispõe de uma torre de observação revestida a madeira, para proporcionar uma visão privilegiada de todo o espaço envolvente, um centro de educação e interpretação ambiental, geradores eólicos e painéis solares, parque infantil, mesas, bancos, miradouros, diversas actividades lúdicas, incluindo passeios de bicicletas grátis.

Salvador Malheiro, presidente da Câmara de Ovar, garante que este é, e será sempre, um parque ambiental, pois “foi para isso que ele foi construído e essa é também a nossa aposta para o seu futuro”. Explicou que, quem “vem do Porto, esta acaba por ser a primeira floresta consolidada” e, nesse sentido, “queremos fazer deste parque um motivo de atracção de muita gente ao nosso território” que possa de alguma forma dinamizar a economia da região”.

“Espécies em vias de extinção”

No parque do Buçaquinho a natureza é rainha. Quem por ali passa não fica indiferente aos patos bravos, à vasta variedade de pássaros, aos sons das rãs e há também quem por ali tenha visto uma gineta, uma espécie de gato com rabo aos anéis brancos e pretos, tritão-marmorado, e picapau malhado, raposas, texugos e esquilos.

Ali existe uma cafetaria que proporciona aos clientes sessões de leitura ao ar livre, palestras e debates, iguarias tradicionais e música ao vivo.
O chefe máximo do executivo vareiro assumiu que os custos de manutenção do espaço “são elevados, mas todo o dinheiro aqui gasto é sentido e visto como um investimento”, quanto mais não seja “nesta simbiose perfeita entre famílias e a natureza”.

Biólogos da Universidade de Aveiro, que procedem no local ao levantamento das aves que moram no parque do Buçaquinho, assumem que existem por lá espécies vulneráveis ou em vias de extinção.

A programação cultural ali apresentada é diferente e faz sentido que o seja, segundo Salvador Malheiro, porque o espaço assim o convida. “Queremos descentralizar a oferta e usar este espaço para isso”.

Recorde-se que a ETAR Esmoriz/Cortegaça funcionou durante 15 anos consecutivos recebendo, como era a sua missão, todo o saneamento da parte norte do concelho de Ovar.

 

 

Tags
Show More

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close