Notícias

Manuela Bravo: “Sinto-me em casa quando estou no Norte”

 

O seu nome faz parte da história da música portuguesa. Aos 60 anos, aquela que ainda hoje é conhecida como a menina do «Sobe, Sobe, Balão Sobe», garante que “a música continua a ser a paixão da minha vida”. “Já tentei fazer outras coisas mas nunca consegui fazer nada bem feito” (risos). Adora cantar, representar, apresentar “tudo que envolva comunicação, sou uma pessoa feliz, pois foi para isso que eu nasci”, reconheceu.

Recebeu-nos tranquilamente no Hotel Holiday Inn Porto – Gaia.  “Eu sinto-me em casa quando estou no Norte . A minha filha vive em Gaia, sabia? Estou na terra dos meus pais”. Esta é uma região “onde guardo as maiores memórias da minha infância e dos muitos espetáculos que aqui fiz”, assume.

A grande vencedora do Festival RTP da Canção em 1979 assume que o Festival “mudou a minha vida, pois fiquei sem tempo para nada”, enfatiza.

Classifica estes cerca de 44 anos de carreira, “porque a minha carreira começou antes do festival” como anos “em que vivi para a música” e diz ter a noção de que todo este tempo passou de forma muito “veloz”. Mas ao fim de todos estes anos garante: “tenho o meu público, as pessoas que me acarinham, gostam de mim, que continuam a acompanhar o meu trabalho”.

Maria Manuela Moreira Bravo orgulha-se da sua carreira e tem razões para isso. Apresentou-se ao público com apenas cinco anos num concurso infantil no teatro Éden. Aos 13 anos, participa num programa de televisão e, aos 15, grava o seu primeiro disco. “Eram duas canções do José Cid, uma delas em inglês”.

Estudou direito, frequentou aulas de canto com o seu pai, o fadista de Coimbra, Loubet Bravo, viajou por todo o mundo e a sorte acabou por lhe bater à porta, em 1979, quando participou no Festival da Canção, o que lhe abriu mais as portas da fama. “Foi um período muito feliz e importante da minha vida. Existiu uma grande mudança, dado o impacto que os festivais tinham naquela época, em Portugal e na Europa”.

Apesar dos anos, não tem dúvidas: “ainda hoje as pessoas cantam o balão sobe”. Confessa, no entanto, que nunca pensou em vencer o concurso, pois não tínhamos editora nem qualquer apoio, pensei que ficávamos pela terceira eliminatória. Mas o povo ordenou naquela altura que seria eu a grande vencedora e arrecadei na Eurovisão o 9.º lugar, “na época, a melhor classificação de sempre para Portugal”. Recordações da Eurovisão são muitas, mas Manuela não esquece, principalmente, os nervos. “Ainda bem que fui a primeira a subir ao palco, pois eram 19 países e não sei se depois conseguia controlar os nervos”, rematou.

Audio disponível em  soundcloud.

Show More

Related Articles

One Comment

  1. Tão bonita que está a Manuela Bravo. Bravo para as sua carreira e para tudo aquilo que tem feito pela musica Portuguesa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close