GaleriaNotíciasVideos

Fátima Araújo uma das figuras mais sólidas da RTP

É uma das figuras mais sólidas da RTP… Cara e voz de espaços informativos como o Bom Dia Portugal, o Jornal da Tarde e vários noticiários da RTP Informação, Fátima Araújo é, há 11 anos, pivot de notícias, mas assume a reportagem e o trabalho no terreno como a essência do Jornalismo e o maior desafio dos jornalistas.
Não é apaixonada por gadgets, mas a sua chegada ao local marcado para a entrevista é sinalizada pelo iphone ao qual se rendeu há um ano. Enquanto aguarda ser chamada para a entrevista, Fátima Araújo consulta as suas contas de Twitter e Instagram. Durante a conversa, admite que as tecnologias “revolucionaram a forma de se fazer jornalismo”. Mas faz questão de vincar diferenças entre o jornalista puro e o “jornalismo de cidadania”, praticado pelas pessoas que, fazendo uso das ferramentas tecnológicas, actuam, opinando, denunciando, mostrando e informando, tal como os jornalistas.
Perfeccionista, batalhadora e polivalente, seja na apresentação de telejornais, seja na reportagem, seja na condução de debates e entrevistas, define-se como uma “profissional empenhada, que leva o trabalho demasiado a sério”. Apesar da experiência que acumula há já 15 anos como jornalista, diz que ainda é uma “formiguinha” e que ambiciona fazer “jornalismo de investigação”.
Confessa desalentos e frustrações associadas à profissão, mas garante que continua apaixonada pelo que faz. Apaixonada pelo trabalho e pelas pessoas.
Numa conversa sem pressas, nem reservas, percebe-se por que razão Fátima Araújo é uma mulher e uma profissional distinta. Para quem, em criança, quis ser patinadora artística ou ginasta de alta competição, Fátima Araújo é, hoje, uma espécie de maratonista… Corre contra o tempo, corre pelas notícias, corre os vários formatos e géneros jornalísticos, sempre com a mesma postura: empenho, entrega ao trabalho e solidariedade para com os colegas. Acredita, de resto, que essas características, que os próprios colegas lhe reconhecem, tal como a polivalência, são atributos que a diferenciam entre os seus pares.
Auto-penaliza-se por “levar o trabalho demasiado a sério” e por “lidar mal” com os seus próprios erros e com os erros dos outros.
É essa sensibilidade extremada que faz de Fátima Araújo a mulher peculiar que todos vêem, mas que só alguns observam. Sensível, mas determinada. Frágil, mas corajosa. Parte de um papel laboral que representa, mas espontânea e genuína na atitude, nos gestos e no sorriso.
Com a mesma sensibilidade com que se emociona ao recordar a mãe que morreu de cancro, há um ano, a mesma franqueza e serenidade com que defende a eutanásia.Com a mesma generosidade que diz cuidar dos amigos, a mesma sensibilidade ao expressar que gostava de ser recordada como “a amiga que ama as pessoas”.Com a mesma sensibilidade com que descreve e escreve afectos, a mesma convicção ao rejeitar o Acordo Ortográfico. Porque, como diz Fátima Araújo, “a riqueza de um povo ou de uma pessoa está na sua individualidade e naquilo que os distingue dos outros”.

Tags
Show More

Related Articles

8 Comments

  1. É bom ficar a saber mais de alguem que apenas acompanhamos em nossa casa. Parabéns AIR por nos permitir conhecer as histórias de vida de quem nos entra diariamente em casa. Parabéns Fátima Araújo.

  2. Entendo que cada vez mais o jornalismo se está a perder. É evidente que temos grandes jornalistas, mas acho que muitos jovens vão para a área da comunicação social porque querem aparecer na televisão e acham que vão ser jornalistas de televisão. Ou seja, não é a paixão pela profissão, é a paixão, sobretudo, pelo facto da televisão hoje dar dimensão e notoriedade às pessoas.
    Acho que cada vez mais a arte de comunicar está a ser conduzida para um tipo de jornalismo que não faz parte da nossa cultura.
    Por isso, entendo que cada vez mais são importantes alternativas como a Agência de Informação Regional -Norte.
    Gosto da sua sensibilidade Fátima Araújo. Deu para sentir que ama o que faz. Parabéns pelo vídeo. Felicidades.

  3. Conheci a Fátima Araújo,na Rádio Informédia de S. João da Madeira, meados dos anos 90.
    Sempre tive muito carinho e admiração por aquela moça muito jovem que sempre demonstrou empenho ,determinação e respeito. Encontrei a Fátima, algumas vezes em eventos Politicos.De uma simpatia contagiante,Fazia/ faz amizades com facilidade.
    Durante todos estes anos, tenho acompanhado a carreira dessa excelente jornalista, locutora ,entrevistadora e repórter.
    Não falo com Fátima Araújo , a vários anos,mas continuo a sentir por ela grande admiração.
    Gostei muito de ver o vídeo com a Fátima e o entrevistador Antonio Costa,outro jornalista que tem vindo a notabilizar-se.
    Votos de grandes sucessos nas suas vidas familiares e profissionais.
    Um forte abraço aos dois.
    Beatriz Magalhães Ferreira.

  4. Parabéns AIR pela magnifica reportagem. Conheço a Fátima Araújo,trabalhei com ela na mesma estação de rádio que foi para nós uma verdadeira escola do jornalismo. Tina 14 anos quando começou a sua caminhada no jornalismo. Sobre esta grande profissional escrevo: Guarda o cheiro a urze, campo e floresta que lhe agrada e a deixa serena. Em Parada, freguesia de onde é “filha” por ligações paternas, é reconhecida carinhosamente como “a menina que trabalha na televisão” pelos habitantes, que considera serem “boa gente”. O jornalismo surgiu ocasionalmente como “uma sucessão de felizes etapas” que lhe foram aguçando o interesse pela área. Daí até se tornar a excelente profissional que é, foi um passo.
    A RTP, tem uma excelente profissional.
    Fátima nós e tua Mãe que está no Céu torcemos muito por ti!!!

  5. Estas reportagens, feitas com “traquilidade” mostram-nos o “outro lado” de figuras, para os quais fazemos muitas vezes juizos de valor, pelas impressões que nos deixam, quando as vemos na televisão. Por trás de cada um existe uma vida, um passado e um presente, que é efémero, pois rapidamente se torna passado. Nos dias apressados de hoje, esquecemos facilmente o passado, quando é este passado e a sua parendizagem que nos permite pensar num futuro.
    Parabéns pela reportagem. De facto existem ainda bons jornalistas, que acima do mediatismo, colocam a informação e o profissionalismo acima de tudo fazendo o seu trabalho com paixão. Parabéns aos dois.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close