GaleriaVideos

Rita Guerra “voltou” ao Coliseu do Porto (Com vídeo)

Foi uma estreia em grande. Rita Guerra juntou, ontem, a sua banda, e levou o Coliseu do Porto ao rubro, com o seu novo espetáculo, “Volta”, o primeiro disco de originais dos últimos quatro anos. “ É quase um talismã, o Porto e o Coliseu dão-me sorte. Há uma generosidade e entusiasmo no público que me comove e me deixa feliz para o resto do Tour. Todos os locais são únicos, mas o Porto recebe-me de uma forma muito especial”, garante a cantora. Aplaudida intensamente várias vezes, a cantora agradecia os aplausos com o seu sorriso característico. Rita Guerra é uma artista influenciada por diferentes estilos musicais. A produção de Mikkel Solnado confere ao disco, segundo a cantora, um toque muito atual, próximo de sonoridades mais eletrónicas e R’n’B, caminhos onde Rita Guerra nunca tinha estado.

Este disco é para a cantora um regresso e uma renovação. “Tenho uma carreira de 30 anos, é importante para mim sentir que estou a fazer coisas novas e atuais. «Volta» é, seguramente, o disco onde mais arrisquei, tem canções construídas em bases eletrónicas e sintetizadores, mas também baladas clássicas, daquelas que eu gosto muito de cantar”.
Este disco revela ainda uma participação muito especial dos Guess What (a banda do filho Diogo) e o tão aguardado dueto com Michael Bolton, que só agora foi possível gravar.
“Cantar com alguém que admiramos é sempre um sonho tornado realidade. E o sonho repetiu-se… e gravou-se. É uma grande honra enquanto cantora e fã ter a participação do Michael num disco meu”, na canção «Make you feel my love» (um original de Bob Dylan), o tema que encerra «Volta».
Além das novas canções de «Volta», Rita Guerra percorreu em palco os maiores clássicos da sua carreira de mais de 30 anos e teve em várias canções o público como um coro bem afinado.
“Vim de Viana do Castelo para ver a Rita Guerra. Adorei o espetáculo. Assim vale a pena ouvir alguém a cantar”, refere Ana Margarida. Luís Lemos veio de Braga. “Tenho todos os discos da cantora, pois é seguramente uma das melhores vozes do nosso país”, e sugeriu “Volta, Rita, ao Coliseu”.
Foi uma noite de surpresas e que juntou ainda em palco “Mikkel Solnado e Rita Guerra. A Sala do Coliseu tremeu com o público a pedir mais canções e a cantora fez-lhe a vontade.

Fotos: Hugo Viegas

[metaslider id=3665]
Tags
Show More

Related Articles

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close