Música

Herman José leva “José Estebes” ao Coliseu Porto

Se o humor tem um rosto, em Portugal poderá ser o de Herman José. Com mais de 40 anos de carreira, o eterno Senhor Feliz tem percorrido o país com um espectáculo que recorda algumas das personagens que mais marcaram o seu percurso. Chegou a vez do Coliseu do Porto. “José Estebes” sobe ao palco dia 14 de Outubro, pelas 22 horas.

Munido de viola, piano, a bengala do Feliz & Contente, a pochete do Nelo, a cabeleira do Serafim Saudade, a vuvuzela do Esteves e os sapatos de plataforma do Tony Silva, o Herman José faz um balanço hilariante dos seus mais de quarenta anos de carreira, acompanhado por um octeto de grandes músicos dirigidos pelo seu (histórico) maestro Pedro Duarte. São duas horas de emoções, gargalhadas e muita música, numa cidade que ama (e é amado), no mesmo Coliseu onde há precisamente trinta e três anos conquistava o segundo lugar num festival RTP da Canção com o tema “A Cor do teu Báton”. Filho de pai alemão e mãe portuguesa, Herman José, que nasceu em 1954 em Lisboa, estreou-se na televisão a 27 de Janeiro de 1974, no programa «No Tempo em que você nasceu» de Artur Agostinho, na RTP. Numa altura em que usava o cabelo comprido.

Daí para cá, depois de um longo percurso percorrido, muitas são as personagens interpretadas por Herman José que fazem parte do imaginário dos portugueses de várias gerações.

Se um dos primeiros sucessos artísticos chegou com a rábula televisiva Senhor Feliz e Senhor Contente – onde contracenava com Nicolau Breyner – Herman José tem sido presença assídua na televisão nacional nas últimas quatro décadas. Hoje tem ainda o seu programa de televisão na RTP, trabalho que conjuga com espectáculos de humor e música ao vivo em todo o país e também no estrangeiro.

Humorista, actor e apresentador de televisão, Herman José tem sido a inspiração de muitos artistas.
Ao microfone da Agência de Informação Norte, já nos tinha confessado que festejar 40 anos de carreira é algo que lhe deixa sentimentos completamente opostos, mas faz questão de garantir que este tempo passou a voar.

Tags
Show More

Related Articles

2 Comments

  1. Caro Herman. Para mim és o maior. És o verdadeiro Rei do humor, e a coroa ninguém te tira. Um abraço e até ao Coliseu.
    José Resende
    Barcelos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close