10@norte

10@norte com Cristina Caras Lindas

A apresentadora de televisão tem uma história de amor antiga com o norte. Fala desta região com simpatia, um amor que surgiu quando era ainda criança. Fiel de uma boa francesinha, não esconde a vontade de conhecer histórias das vendedoras do Mercado do Bolhão, para fazer uma curta-metragem sobre a vida destas pessoas. Os seus melhores amigos são do norte. Pedro Abrunhosa é para si uma das melhores figuras da região. “Porto Sentido”, de Rui Veloso,é para Cristina Caras Lindas a canção que melhor caracteriza o Porto.“Meu Norte, meu Amor” é o tema aberto para um livro ou, quem sabe, para um programa de televisão.No Porto,claro!

O melhor refúgio do norte…
Casa Valxisto, em Penafiel, a 30 minutos do Porto, onde, inesperadamente, passei um dos mais belos fins-de-semana da minha vida. Tudo ali é excelente. Ainda não voltei, mas é algo que pretendo fazer um qualquer dia… inesperadamente também.

A melhor frase que ouviu…
“Não importa dar o que importa é dar-mo-nos”.Percebi, ao longo da vida, e por ter acompanhado muitas histórias menos felizes que, muitas vezes, não é uma questão de dinheiro, mas, sim, do nosso tempo, de um tempo cheio de afecto. Tanta gente “pobre” cheia de dinheiro…

A melhor figura desta região do país…
Existem várias, mas vou destacar duas. Pedro Abrulhosa, pela irreverência, saber cultural, pela escrita, pelo SER, independentemente da idade. Assim, como o meu grande amigo, e ser de excepção, Francisco Moreira,locutor da Rádio Festival. O Francisco foi um amigo que o Norte me deu, temos em comum a mesma paixão a Rádio. Através dele o meu leque de amigos multiplicou e, cada vez que vou ao Porto, é uma verdadeira alegria estar com todos e brindarmos ao melhor da vida, a amizade.

A música que representa o norte…
Rui Veloso,com o seu Porto Sentido. O poema desta canção é uma verdadeira homenagem ao norte.

O melhor espectáculo que viu no norte…
Vi muitos, mas vou destacar o Ricardo Ribeiro (Fadista). Um espectáculo que decorreu na Casa da Música, no Porto

Com que figura nortenha gostava de jantar?
Uma das vendedoras do mercado do Bolhão. Adorava conhecer a sua história e fazer uma curta-metragem sobre essa vida.

E qual é o melhor prato?
Não tenho opção de escolha (risos). Vou escolher a Francesinha. Já aprendi a fazer, mas não sai igual à que se come, por exemplo, no do restaurante Capa Negra.

O monumento mais interessante?
A Igreja de S. Francisco, no Porto, mas existem muitos outros.

Um episódio caricato que viveu nessa região…
Perceber que o melhor percurso turístico num dos autocarros para turistas, depois de o ter feito em grandes cidades Europeias, encontra-se no Porto. Espantoso o que desconhecemos no lugar onde vivemos e ainda as manifestações de afecto que as pessoas do Norte me demonstram.

Se escrevesse um livro sobre o norte, que título teria?
Meu Norte, meu Amor “.A minha história de amor com o Norte é antiga. Desde a primeira vez, ainda adolescente, que visitei o Porto, fiquei num hotel à beira Douro e ainda guardo os textos que escrevi, inspirada pela magia da cidade, sem saber que mais tarde viria a fazer os melhores amigos nessa cidade. Por essa razão, livro teria tal nome.

Foto: Pedro Palma

Tags
Show More

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close