10@norte

10@norte com Paula Sá

Tinha apenas 16 anos quando deixou a casa dos pais, onde vivia, em Ermesinde, para lutar pelo sonho. Paula Sá é uma verdadeira “mulher do Norte”, com provas dadas no canto, nas dobragens e na representação.Reconhece que não existem “croquetes” como os da sua avó e até convidava Rui Veloso para um piquenique, no Parque da Cidade do Porto.

O melhor refúgio do norte?
O Parque da cidade do Porto. Tenho feito muitos piqueniques em família e é um lugar de imensa tranquilidade.

A melhor frase que ouviu?
“Ai que se me arreganha toda”. “Mais vale morrer que perder a vida!”

A melhor figura desta região do país?
Pinto da Costa, não só pelo indubitável carisma, mas também por ser o presidente mais titular do mundo e o mais antigo no posto!

A música que representa o norte?
Os GNR,com a pronúncia do Norte.

O melhor espetáculo que viu no norte?
O concerto do Pedro Abrunhosa, no Coliseu do Porto, foi absolutamente mágico. Teve um grande impacto sobre todos os Portuenses, porque foi na altura em que o Coliseu esteve na iminência de ser vendido à IURD.

Com que figura nortenha gostava de jantar?
Rui Veloso. Tenho uma grande admiração por ele. Gostava de ter conhecido e jantado no seu restaurante: D. Tonho!

O melhor prato?
Croquetes feitos pela minha avó. Acho que também se chamam trouxas de carne. Com limão, picante e salsa. São uma delícia!

O monumento mais interessante?
Na rotunda da Boavista, o leão dominar a águia, representando a guerra peninsular e a vitória dos ingleses sobre a França.

Um episódio caricato que viveu nessa região?
Recordo- me, depois de uma bela sardinhada em casa dos meus padrinhos, nas Antas, 18 pessoas entraram na carrinha peugeot do meu pai para irem ver o fogo-de-artifício da noite de S. João.

Se escrevesse um livro sobre o norte que título teria?
Livro de receitas caseiras do Norte, intitulado: nostalgia sobre a mesa!

Tags
Show More

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close