Espetáculos Nacionais

Vila do Conde soube receber Rita Guerra

O Teatro Municipal de Vila do Conde recebeu ontem o concerto de Rita Guerra, que interpretou muitos dos seus sucessos de 32 anos de carreira.

A voz de Rita Guerra é distinta, poderosa e transmite paixão em todos os registos, da mais comum das baladas, ao pop, passando pelo rock e também pelo inusitado fado. Foi desta viagem de sons que se fez o espetáculo de uma das mais conhecidas cantoras femininas a solo do país. Já não foi a primeira vez que a artista sobe ao palco do Teatro Municipal de Vila do Conde, mas esta, como as anteriores, mereceram largados elogios da cantora: “Gosto muito de cantar aqui, a acústica da sala e este piano são fantásticos!
Foram 32 anos de carreira que encheram o Teatro em 90 minutos de concerto, numa viagem por dezena e meia de temas que todos conhecemos desde o seu primeiro álbum de 1990 “Pormenores sem a mínima importância”, até ao último “Volta” lançado no final de 2014.
Eram 21h30 em ponto e eis que Rita surge da penumbra pelo lado esquerdo do palco e logo se apoderou do piano. Consigo, dois músicos Gonçalo Santus e Marco Reis. Sentada esteve todo o concerto, começando a viagem pelo tema “Sentimento”. Seguiu-se “Volta” e o clássico “Castelos no ar”. A cantora foi alternando nos momentos mais intimistas e outros mais ritmados que fizeram o público acompanhar como se de um grande coro se tratasse.
A voz inconfundível e incomparável de Rita Guerra surpreendeu também ao trazer novas roupagens de temas de sempre, como “Brincando com o fogo”, “No meu canto” ou “Secretamente”. Mas não se ouviu só a língua de Camões nesta noite: “Don’t dream is over”, tema celebrizado pelos Crowded House nos anos 80, e “I want to Break free” dos Queen, foram aqui cantados por Rita ao piano. Uma brincadeira com os colegas de palco fez com que “Sacalo” fizesse soltar algumas gargalhadas do público. E, como não podia deixar de ser, “Deixa-me sonhar”, a canção com que representou Portugal na Eurovisão em 2003, voltou a ecoar em Vila do Conde
A noite terminou com “Chegar a ti” mas o público pediu um encore. Aqui, e em jeito de homenagem ao seu pai, Rita canta fado com “Barco negro” e de novo o muito aclamado “ Brincando com o fogo”.

Texto: N. Costa
Foto: DR

Tags
Show More

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close