Sociedade

Festival de marionetas da Feira e Galiza mais extenso, descentralizado e com marcações

O festival de teatro de marionetas Eixos, que reúne em Santa Maria da Feira companhias portuguesas e galegas, realizar-se-á de 01 a 16 de agosto em vários locais do concelho, sempre com lugares marcados, revelou hoje a autarquia.
Inicialmente previsto para março e então cancelado devido ao confinamento imposto pela pandemia de covid-19, o evento que nasceu em 2018 nesse concelho do distrito de Aveiro, no âmbito do programa local da Capital da Cultural do Eixo Atlântico, foi entretanto reconfigurado e adota agora a designação oficial “Fora dos Eixos”.
O formato descentralizado idealizado para março mantém-se, num registo de maior abertura geográfica comparativamente à edição de 2019, mas, devido ao vírus SARS-CoV-2, a Câmara Municipal da Feira teve de desistir de escolas e palcos menos convencionais, como autocarros, para se focar agora apenas em espaços públicos como museus e recintos ao ar livre.
“O reagendamento do Eixos é uma oportunidade para o repensar e adaptar à nova normalidade, vocacionando-o para o espaço público, e é também um compromisso político. Aliás, ainda antes de publicado o decreto-lei que recomendava o reagendamento das atividades culturais, já era intenção estratégica deste município – enunciada a 22 de março, em pleno estado de emergência – manter o compromisso com essas iniciativas, com os seus artistas e públicos”, afirmou à Lusa o vereador da Cultura, Gil Ferreira.
No total, o reformulado Eixos de 2020 contará com diferentes exibições de 10 espetáculos por três companhias portuguesas – Marionetas Rui Sousa, Partículas Elementares e S.A. Marionetas – e duas espanholas – Títeres Alakrán e Títeres Cachirulo.
“Atendendo às recomendações da Direção-Geral da Saúde, a participação nos espetáculos exige inscrição prévia, para ficarem asseguradas questões como a segurança do distanciamento e a higienização dos espaços”, realçou fonte da organização.
O mesmo se aplica à exposição e à oficina que complementam o programa de atuações, nomeadamente a mostra sobre os 20 anos de carreira do artista local Rui Sousa, que estará patente ao público até 20 de setembro no Museu do Papel, na vila de Paços de Brandão, para dar a conhecer a evolução registada pelo marionetista ao nível de técnicas e recursos.
Já para o Museu de Santa Maria de Lamas, na localidade com o mesmo nome, está prevista uma oficina de construção de marionetas em papel, conduzida pelo mesmo Rui Sousa e também por Telma Pedroso. A iniciativa está limitada à participação de 20 pessoas e inclui a distribuição de um ‘kit’ individual, de forma a viabilizar a construção “descomplicada” de uma personagem teatral manipulável.
Quanto aos espetáculos, a companhia da Feira apresentará as produções “Saltimbancos d’El Rey”, “Marionetas circulantes”, “Marionetas musicais”, “O pão que o diabo amassou” e “O Barbeiro – Tourada à Portuguesa”. Já as produções exibidas pelo coletivo S.A. Marionetas serão “Rosa e os 3 Namorados” e “Inês de Castro”, cabendo à Partículas Elementares o espetáculo “O Nabo Gigante”.
Da Galiza, por sua vez, chegará o “Circo Galaico” da companhia Títeres Alakrán e “A barraca camiño a Santiago” dos Títeres Cachirulo.
Essas produções serão encenadas em espaços como o anfiteatro da Praça Gaspar Moreira, a eira entre o rio Cáster e o Banco do Tempo, as arcadas exteriores do Museu de Lamas, a Praça da República junto à Câmara Municipal, o jardim do Museu do Papel, a Quinta do Castelo da Feira e o Monte do Viso em Guisande.

AYC // JAP

Tags
Show More

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close