Breves

“Sozinha no Mundo” é o novo single dos SENZA

Fusão-lusófona e hip-hop combinam-se na antecipação do novo disco

“Sozinha no Mundo” é a nova canção dos SENZA, a dupla de músicos-viajantes que tem levado a Língua Portuguesa a países de todos os continentes. Como nos álbuns anteriores, foi de uma viagem que Catarina Duarte e Nuno Caldeira retiraram inspiração para o seu novo trabalho, mas a diferentes cenários do mundo tiveram que acrescentar o recolhimento ditado pela pandemia. Em viagem ou em casa, a tecnologia estava lá…. Mas o que o novo single dos SENZA questiona, numa colaboração reflexiva com Carlão, é se os ecrãs ajudaram a humanizar a experiência ou, pelo contrário, vêm anestesiando a humanidade.
Depois dos álbuns “Praia da Independência” e “Antes da Monção”, os SENZA partiram novamente em viagem pelo mundo e regressaram com novos sons na bagagem, demonstrando uma evolução natural que, continuando a refletir as sonoridades que vão encontrando ao caminho, se materializa num registo mais complexo, expresso em novos instrumentos,drum machines, samplers e uma fusão com o hip-hop. Essa evolução concretizou-se no single “Sozinha no Mundo”, em que Catarina Duarte e Nuno Caldeira contam com a participação especial de Carlão (a.k.a. “Pacman” e Carlos Nobre Neves). Juntos, os três artistas refletem sobre os efeitos da tecnologia – em especial a associada aos ecrãs – na humanização ou desvirtuação das sociedades atuais.
“Começámos a criar este tema com base em experiências que tivemos em várias partes do globo, maioritariamente na África austral, no Brasil e no México. Depois chegou a pandemia e alterou-nos todos os planos de trabalho: por um lado, deparámo-nos com o cancelamento de dezenas de concertos, com tudo o que isso implica em termos de sustentabilidade profissional e artística; por outro, ficámos com mais tempo disponível para a produção do nosso novo disco, o que nos permitiu experimentar e arriscar muito mais do que aconteceria em situações normais, sujeitas a maior tensão e a prazos apertados”, revela Nuno Caldeira.
Essa maior tranquilidade em termos concetuais não atenuou o desassossego afeto à crise gerada pela Covid-19. “A pandemia teve um impacto emocional gigantesco na nossa vida profissional e pessoal”, assume Catarina Duarte. “Não sabemos em que medida isso surtiu um efeito negativo ou positivo na nossa criatividade e no produto final, mas o facto é que, no ano em que teríamos a nossa tournée mais expressiva até à data, tanto pelo país como no estrangeiro, tivemos que lidar com uma paragem inesperada e abrupta, e que nos adaptar à dificuldade em programar o futuro – o que só agrava a instabilidade e insegurança que já são típicas da carreira artística”.
Ambos os músicos defendem, contudo, que saíram enriquecidos da experiência e que isso será percetível no novo álbum que estão a preparar: “Sem irmos fisicamente para muito longe, este foi um ano de surpresas e de descoberta. Pelas repercussões que isso teve no nosso ego e na nossa motivação, vimo-nos perante um desafio maior do que possa parecer a quem não integra o meio artístico”.

Televisão, computador, smartphonee o apelo às feras

“Sozinha no mundo, só à espera que a TV te traga aquilo que sonhas alcançar… Só por um segundo, faz-te fera… Faz-te bem perderes-te na vida e trocares o Norte pelo Sul“. É esta a mensagem do novo single dos SENZA, o que, mais do que uma crítica às tecnologias e ao comodismo instalado face aos ecrãs, constitui um alerta quanto ao risco de a vida online se sobrepor às experiências presenciais cujo usufruto nem sempre se poderá recuperar após a passagem inexorável do tempo que lhes é propício.
Carlão reconheceu-se nesse dilema. Após alguns encontros em eventos profissionais, criou-se entre os três músicos uma amizade alimentada de conversas interessantes e a ideia de comporem juntos surgiu naturalmente. Quando os SENZA lhe dirigiram o convite para participar no single “Sozinha no Mundo”, o rapper aceitou de imediato e propôs-se até criar para a música os seus próprios versos. É dele próprio, por isso, o recado: “Caminha no parque, brinca na estrada… Esquina é romance, faz a tua chance…. Faz-te fera”.
Concretizada essa parceria numa canção que tanto pode incentivar reflexões profundas como estimular a dança mais despojada de pretensões, Nuno Caldeira e Catarina Duarte confessam: “É um orgulho imenso o Carlão ter gostado da nossa música e agora podemos retirar este item à nossa ‘bucket list’. Esta colaboração resultou de um tipo de empatia que se cria naturalmente quando estamos bem uns com os outros e lá está: isto só se consegue se nos relacionarmos uns com os outros – não com os ecrãs”.

Tags
Show More

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close