Entrevistas

Ruben Pinto: “O palco é a minha vida, onde me sinto bem e quero estar até ao meu último suspiro!”

Bisneto de maestro, apaixonado pela música e pela representação. Ruben Pinto é um cantor, nascido que defende a Arte com determinação. Em breve será editado um novo álbum, no qual também mostra o seu talento na composição, mas enquanto isso não acontece, vamos conhecer um trajeto cheio de notas musicais e palcos.   

Por: Andreia Gonçalves

Agência de Informação Norte – Vamos começar esta nossa entrevista viajando pela tua infância. Onde me levarias nesta viagem?
Ruben Pinto – Até à altura mais feliz da minha vida, que foi pelos meus 6/7 anos, quando tudo era uma mar de rosas porque não haviam dores de cabeça. (risos) O meu sonho começava a ganhar forças e a realizar-se aos poucos e poucos e onde a vontade de singrar numa carreira Musical era totalmente possante.

A música fez parte da tua vida sempre. Conta-me então esse teu primeiro contacto com ela?
Surge quando eu tinha 4 anos, mas segundo os meus familiares, já vem desde a barriga da minha mãe… (risos). Portanto, eu tenho um bisavô com 100 Anos (ainda vivo) que foi um grande Músico e um grande Maestro, e que foi o impulsionador/mentor pela família ter passado quase toda pela música. Entretanto um filho dele torna-se artista na Venezuela, os meus avós e tios iniciam numa banda familiar, depois ingressam no folclore e eu aos 3/4 anos integro o Rancho Folclórico onde eles andavam. Com essa idade estava na altura a tocar bombo ao lado do avô Paterno.

Como me descreverias esse homem, maestro e teu bisavô, o senhor Aníbal Pimenta?
É o meu maior exemplo, porque enche-me de orgulho poder ter, ainda existente e acompanhar o meu progresso, o principal mentor da minha família na área da Música! E os ensinamentos que me foi dando também e que ainda hoje os levo comigo para a vida! Sempre foi um homem inteligente, com “sede” da música, preocupado com a família, com a minha carreira e isso enche-me a alma! Desde o meu primeiro espetáculo, na altura com 6 anos de idade, que digo que sou com muito orgulho, bisneto do Maestro Aníbal Pimenta!

O palco é o lugar onde um cantor/ator como tu gosta mais de estar. O que sentes em palco hoje, depois de todo este caminho?
Sinto sempre um “friozinho na barriga” e algum nervosismo, mas sinto que o palco é a minha vida, onde me sinto bem e onde quero estar até ao meu último suspiro!

“A música para os  artistas é a “nossa verdade”

Como vês esta paragem no tempo para a Arte em Portugal,  desde que a pandemia começou?
Vejo isto de uma forma repugnante, triste, preocupante e desgastante, porque a cultura é segura e já tivemos exemplo disso, mas infelizmente, só alguns nomes no panorama musical podem ou puderam trabalhar, outros nomes (não menos importantes, mas menos sonantes) já não puderam trabalhar. E isto é muito triste, porque como muitos, eu também pago impostos e vemo-nos incapacitados de podermos trabalhar e as despesas ao fim do mês são iguais ou ainda maiores. Isto é muito mau para quem de facto ama o que faz e que no fundo trabalha para o público com amor, empenho, dedicação e lealdade! A música para nós artistas é a “nossa verdade” e estão-nos a tirar a vida e a “matar-nos” aos poucos e poucos!
Somos trabalhadores como todos os outros, mas valorizarem-nos e de uma certa forma, ajudarem-nos, está fora das ideologias dos nossos governantes!
Só me questiono, se até tudo isto passar, será que continuaremos a ter força para levarmos avante esta nossa caminhada que nos foi “desviada”?!

Como alguém como tu que gosta de verdade e de ver as coisas pelo lado positivo,  consegue perceber este momento?
Consigo entender sim que estamos a atravessar uma  espécie de “segunda guerra mundial” derivado à situação pandémica do nosso país, onde as pessoas não compreendem o quão importante é ficarmos em casa e ajudarmos os nossos profissionais de saúde!
Mas não percebo o porquê de alguns setores poderem trabalhar e outros não. Já nem falo na música, nem nas artes em geral, porque então nunca mais concluíamos esta questão.
Mas acho sinceramente, que a culpa da situação do nosso país se deve não só a “nós” cidadãos, mas também aos nossos governantes, que poderiam ter evitado o estado atual que estamos a viver.

“Adoraria um dia  ver o Meo Arena cheio a cantar comigo”

Quem são as tuas referências musicais?
Tenho algumas, mas essencialmente David Bisbal e o Grandioso Beto!

Ao longo dos últimos tempos saíram alguns singles novos. O que virá aí, num futuro próximo?
Os temas já lançados este ano, farão parte do meu novo disco, que sairá ainda este ano e onde estou neste momento com a minha equipa em estúdio a programá-lo! Está a ser gravado na minha segunda casa que é o SolidStudios em Cortegaça, do grandioso e nosso querido Tony Lemos dos Santamaria, que já não está entre nós e com o meu grande Amigo Alex Navarro, um grande músico, cantor, compositor, produtor e que também muito me tem ensinado.
É um trabalho, onde me estreio com temas de minha autoria (música e letra) e do Alex e onde a produção musical e arranjos fica sobre o controlo do meu produtor, juntamente comigo e o resto da equipa! Para além destas vertentes participo também como músico.
Os temas lançados recentemente e onde um deles já tem videoclip, foram escritos e musicados por mim.

Posso perguntar sobre uma outra paixão que tens, a representação?
É uma paixão que veio mais tarde e que fez e ainda faz parte da minha vida. Foi uma escola para mim muito importante na parte de me expressar em público e desinibir mais com o mesmo.

E que prémio foi esse que foi recebido do nosso grandioso Ruy de Carvalho?
Este prémio surgiu de um festival que teve como mentor o grandioso Ruy de Carvalho e onde nesse ano me foi atribuído o prémio de melhor ator. Uma experiência incrível e na qual ainda, hoje, me lembro desse dia por completo.

Como se sentirá realizado o menino de Ovar, no distrito de Aveiro, num futuro próximo?
Quero chegar apenas ao reconhecimento das pessoas, aos corações das mesmas e uma vez que já pisei alguns dos palcos mais importantes na música, adoraria um dia  ver o Meo Arena cheio a cantar comigo!  Adorava que as pessoas dessem valor a algo que é diferente porque é identidade e não à igualdade!

Tags
Show More

Related Articles

One Comment

  1. O Ruben Pinto é um grande músico,artista e uma excelente pessoa. Muito responsável e comoetente no seu trabalho. Merece um lugar ao sol no panorama musical Português!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close