Notícias

Reabilitação do edifício da Igreja de São Miguel do Castelo e de proteção das pedras Tumulares

Está em curso a empreitada de reabilitação do edifício da Igreja de São Miguel do Castelo e de proteção das pedras Tumulares, em Guimarães. Orçada em cerca de 78 mil euros, corresponde à primeira fase de uma intervenção mais ampla, a ser executada no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).
A Igreja de São Miguel do Castelo, imóvel classificado como Monumento Nacional (Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910), propriedade do Estado afeta à Direção Regional de Cultura do Norte, integra um dos mais importantes conjuntos monumentais do País, no mesmo núcleo que o Castelo de Guimarães e o Paço dos Duques de Bragança.
A par destes, é um dos monumentos mais visitados do norte de Portugal, e encontra-se neste momento a ser alvo de uma intervenção de reabilitação do edifício e de proteção das pedras Tumulares existentes no pavimento da nave da Igreja.
A empreitada em curso, com um prazo de execução de 120 dias, adjudicada pelo valor de 77.515,23€ (a que acresce IVA), correspondente a uma primeira fase de intervenção prevista no PRR, visa garantir a salvaguarda do imóvel e dos seus elementos, bem como assegurar a acessibilidade ao mesmo em condições de segurança. Enquanto decorrem as obras, a Igreja encontra-se temporariamente encerrada ao público.
A intervenção programada pretende a requalificação do Monumento, nomeadamente através da reabilitação da cobertura, da limpeza e conservação de fachadas e dos vãos, da implementação de sistema de drenagem periférica do imóvel e, ainda, a criação de condições de melhoria da salvaguarda das pedras tumulares existentes no pavimento e de valorização das condições de fruição do Imóvel, assegurando-se a adequada acessibilidade e segurança na visitação do mesmo.
Desta forma, está prevista a revisão geral da cobertura do imóvel a qual apresenta indícios de funcionamento irregular com deslocação do revestimento cerâmico e perda de material no madeiramento de suporte, a conservação dos paramentos, que se apresentam pontualmente colonizadas por agentes biológicos e sem revestimento de juntas, o restauro das portas dos vãos, que apresentam acabamento degradado, e a criação de sistema de escoamento de águas que reduza substancialmente os níveis de humidade existentes no interior da Igreja, afetando primordialmente as pedras tumulares, pretendendo-se, ainda, dotar o imóvel de condições de segurança e de infraestruturas de apoio à musealização e interpretação do Monumento.
No âmbito da empreitada, concretamente na implementação do sistema de drenagem perimetral do Imóvel e de instalação de infraestruturas, está prevista a realização de trabalhos arqueológicos, adjudicados pelo valor de 11.925€ (a que acresce IVA), que visam a identificação, registo e salvaguarda dos vestígios arqueológicos que se encontrem preservados na área da envolvente perimetral da Igreja e que venham a ser afetados pela intervenção programada.
O valor total da intervenção na Igreja de São Miguel do Castelo, em Guimarães, é de 308 mil euros (a que acresce IVA), financiados através do Fundo de Salvaguarda do Património Cultural.

Tags
Show More

Related Articles

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close