EntrevistasGaleriaNotícias

Vodafone Paredes de Coura com James Blake, Beirut e Franz Ferdinand para saborear à beira-rio

A 22.ª edição do festival Vodafone Paredes de Coura arranca esta quarta-feira e, até sábado, leva aos três palcos já instalados na Praia Fluvial do Taboão mais de 40 artistas, entre os quais se destacam James Blake, Beirut, Franz Ferdinand, CHVRCHES, Black Lips, Janelle Monáe, Cage The Elephant e Cut Copy.
A programação paralela do evento já começou com o “Vodafone Paredes de Coura sobe à vila”, que levou ao centro dessa localidade artistas como Mão Morta, e hoje arranca também o encontro internacional “COURAge to think”, que, reunindo uma série de especialistas nacionais e estrangeiros, se propõe reflectir sobre o estado de arte dos festivais e o seu contributo para o desenvolvimento das regiões em que se realizam, sobretudo quando esses territórios são de baixa densidade.

É a paisagem proporcionado pelo anfiteatro natural da Praia do Taboão, contudo, que justifica que o evento nas margens do rio Coura tenha sido nomeado por bandas e performers individuais como um dos candidatos a “Festival Favorito dos Artistas”, que é uma das categorias dos Europe Festival Awards.

Para o Vodafone Paredes de Coura estão anunciadas estruturas físicas que exibem “vanguardismo estético e conceptual”, transmissões radiofónicas em direto com “entrevistas e performances exclusivas”, atividades lúdicas no “cenário idílico” do rio e até um serviço de babysitting para festivaleiros que “não têm a quem confiar os filhos” durante os concertos.

O principal, ainda assim, continua a ser a música: Hitchpop, Torto e Mick Turner no Palco Jazz na Relva, entre quinta e sábado; e outros 17 artistas no Palco Vodafone FM, com Thee Oh Sees, Perfect Pussy e Goat a sucederem-se, no mesmo período, como os respetivos cabeças-de-cartaz.

Quanto ao Palco Vodafone, que recebe as maiores atrações do festival, os concertos arrancam já esta quarta-feira com Capicua, Cage The Elephant, Janelle Monáe e Public Service Broadcasting. Estes últimos representam o projeto de J. Willgoose e do seu companheiro de percussão Wrigglesworth, que assumem a missão de informar, educar e entreter o público mundial, recorrendo para isso a amostras de filmes antigos de informação, imagens de arquivo e material de propaganda, que sonorizam ao vivo com bateria, guitarra, banjo e eletrónica.

Na quinta-feira, o espetáculo está entregue a Oso Leone, Seasick Steve, Mac DeMarco, CHVRCHES e Franz Ferdinand. Já habituée em palcos portugueses, a banda escoceca liderada por Alex Kapranos vem apresentar pela primeira vez em palcos portugueses os temas do seu quarto álbum de originais, editado este ano com o título “Right Thoughts, Right Words, Right Actions”.

Killimanjaro, Linda Martini, Conor Oberst, Black Lips e Cut Copy sucedem-se em palco na sexta-feira. Dessa lista, os mais aguardados serão os australianos que, conhecidos pela sua música electrónica, estão em digressão internacional com o álbum “Freee Your Mind”, que levam a conhecer a outros festivais de dimensão como o Future Music, Bonaroo e Primavera Sound Barcelona.

O Vodafone Paredes de Coura despede-se depois no sábado, num crescendo que começa com Kurt Vile and The Violators e prossegue com Sensible Soccers e The Growlers, para terminar com Beirut e James Blake.

Nessa apoteose, os Beirut voltarão a manifestar o génio criador de Zach Condon, nas suas opções por instrumentos como a tuba, o bombardino, o acordeão, o fliscorne ou o ukele. Com uma sonoridade própria entre o romantismo delicado e a exuberância balcânica, a banda irá revisitar toda a sua discografia, entre o “Gulag Orkestar” (2006) e o mais recente “The Rip Tide”, sem esquecer o incontornável “The Flying Club Cup” (2007).

A festa no Palco Vodafone termina então com a electrónica de James Blake, que em 2013 arrecadou o Mercury Prize para o Melhor Álbum Britânico do Ano, por “Overgrown”. Reconhecido pelo talento com que reinventa dubstep e R&B com recurso a uma eclética seleção de samples que abrange desde Burial até Stevie Wonder, o musico vem a Paredes de Coura demonstrar por que razão ganhou o Mercury a artistas tão mais experientes quanto Arctic Monkeys e David Bowie, que também estavam nomeados para a mesma categoria.

Mais detalhes sobre o festival podem consultar-se em www.paredesdecoura.com, que, além de informação sobre o cartaz, disponibiliza ainda outros dados úteis sobre meios de transporte até ao Taboão e alternativas de alojamento no recinto e na envolvente.

Alexandra Couto

Tags
Show More

Related Articles

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close