GaleriaNotíciasVideos

Ágata canta, sábado, no Coliseu do Porto

Já lá vão cerca de 20 anos e o certo é que o “Perfume de Mulher” ainda não nos saiu da cabeça. Aos 53 anos, prepara o concerto de comemoração dos seus 40 anos de carreira, dia 5 de Outubro, no Coliseu do Porto.
Tem andado afastada dos palcos nos últimos tempos. Reconhece que, por vezes, é importante desaparecer, e reaparecer, porque “a saudade provoca o desejo e é bom provocar determinadas ausências”. Mas, rapidamente, sentiu que as pessoas já tinham saudades, ao ler as mensagens que lhe deixavam na sua página do Facebook.
O certo é que já passaram cerca de 20 anos e o “Perfume de Mulher” continua a ser um dos maiores sucessos da música ligeira em Portugal. “Só encontro uma explicação. As pessoas identificaram-se com a canção e saiu numa altura em que se fazia muito pela música portuguesa e investi tudo o que tinha nessa altura”.

O espectáculo, agendado para 5 de Outubro, próximo sábado, será mais um marco na sua carreira. “São 40 anos de memórias, onde a cantora vai viajar pelos seus sucessos e terá ainda como convidados especiais os sobrinhos Romana, Sérgio Rossi e o colega José Reza, que irá abrir o espectáculo. De uma coisa Ágata tem a certeza: Este espectáculo terá a mesma responsabilidade que um espectáculo ao ar livre, em colectividades, pois “o público é o mesmo” e não a assusta pensar que “vou pisar o palco do Coliseu e que isso é uma responsabilidade. Todos os espectáculos são”.

“Tive sempre aquilo que ambicionei ter”

Ao fim de todos estes anos, diz que, se tivesse que voltar a trás, não o faria. “Tudo o que me aconteceu foi na altura certa, ganhei maturidade para poder chegar aqui com alguma firmeza e nunca fui nem quis ser uma vedeta”.
E porquê assinalar os 40 anos no Coliseu do Porto? “Eu queria uma sala grande e com condições para fazer o meu primeiro DVD ao vivo. E, porque grande parte dos meus fãs são da zona Norte, este espectáculo é dedicado a todo o público acima de Lisboa”. Depois surgirá outro para o sul de Portugal. O certo é que a cantora, que começou a cantar com pouco mais de 3 anos, já se sente “nortenha”, pois “há muito que estou a viver em Chaves”. O certo é que Fernanda de Sousa, o seu nome de baptismo, não tem dúvidas que foi no Norte que “sempre fiz mais espectáculos e, por isso, esta homenagem às pessoas do Norte”.
Numa conversa, sem pressas nem reservas, não escondeu a emoção ao falar dos seus pais e das dificuldades vividas para criarem os 5 filhos. “O meu pai era o único a trabalhar, somos uma família muito humilde e sempre senti as dificuldades no meu pai e sempre procurei ajudar para que o meu pai pudesse desfrutar daquilo que era meu, os meus irmãos e poder estar bem, pois sempre tive sempre aquilo que ambicionei ter”, concluiu.

Tags
Show More

Related Articles

6 Comments

  1. Já tenho o bilhete. Quer se queira ou não o seu nome ficará sempre na História. Parabens AIR pela reportagem. ADOREI!!!!!!!!!!!!!!!!

  2. Caro Miguel. Todos temos valor na vida. O que não devemos é perder o respeito. A Ágata também o tem. 40 anos a cantar e a arrantar milhares de pessoas não é para qualquer um. Vou la estar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close