GaleriaNotícias

Invicta pronta para receber a noite mais longa

Está quase a chegar a festa de todos os portuenses. O cheiro das sardinhas assadas já esta na cidade e mistura-se com o aroma da canela das farturas e dos churros, do manjerico e alho porro. Os martelos já se ouvem, os sorrisos misturam-se com a música dos martelos, que insistem em martelar as cabeças de quem passa por eles.
São muitos os turistas que não querem perder a grande festividade. As ruas começam a ficar cheias de foliões de alho porro numa mão e martelinho na outra, que trazem um ambiente festivo. Também cheira a erva cidreira. Nos becos do burgo velho, debaixo dos tetos de céu decorado com balões de papel, senhoras de aventais amarrados à cintura viram com sabedoria as sardinhas que assam e mostram o seu sorriso convidando quem passa para as saborear.

Nas Fontainhas e em Miragaia, lugares por excelência da tradição dos festejos sanjoaninos, o cheiro o sardinha, a pimento, a caldo verde a fumegar esvoaçava pelo ar, com farturas à mistura, que enchiam os estômagos vazios. Lá estava a cascata de São João. Entretanto, o santo estava sozinho, porque terão roubado, na passada noite, dizia o povo que por lá passava, o Cristo.
À meia-noite, o tradicional fogo de artifício será lançado a partir do rio, a que uma multidão vai assistir e aplaudir, Como tem acontecido em anos anteriores.
E, depois, em grupos bem animados, percorrem a cidade das Fontainhas ao Bonfim, à Baixa, a Miragaia, à Foz… um caminho sem pausas, porque a noite é de folia. Entretanto, o céu será invadido por balões que o tornam mais colorido e vivo, animando uma noite que só vai acabar de madrugada nas praias ou a dormir o primeiro sono nas praças ou nos jardins da cidade.
Depois, carregando a ressaca, é o regresso a casa, à espera que o próximo ano traga de novo os festejos de São João.

Tags
Show More

Related Articles

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close