CulturaGaleriaNotíciasPaísSociedade

Porto transforma-se na Cidade das Camélias entre 5 a 12 de março

A cidade do Porto volta a transformar-se na Cidade das Camélias entre os dias 5 a 12 de março, dedicando uma semana repleta de atividades àquela que é para muitos considerada a “Rainha das flores”. Património cultural e natural da cidade, foi a partir da Invicta que esta espécie se disseminou e conquistou todo o norte de Portugal e Galiza.

A criação, no ano passado, da marca “Porto. Cidade das Camélias” fortaleceu ainda mais esta relação, que tem no mês do março o seu ponto alto, com a organização da XXI Exposição de Camélias do Porto, nos dias 5 e 6, na Casa de Serralves, numa iniciativa conjunta do Pelouro do Ambiente da Câmara do Porto, PortoLazer e Associação Portuguesa de Camélias.

Mas a agenda de eventos em torno desta flor, originária do sudeste asiático e também conhecida por Japoneira, não se esgota na Exposição. Tal como em 2015, o evento alargará o seu âmbito à cidade, prolongando-se por toda a semana, até 12 de março, com mais de 40 iniciativas abertas à população, entre visitas guiadas, oficinas, concertos de música, palestras, exposições, conferências, degustações e muita animação de rua.

EXPOSIÇÃO ESTREIA-SE NA CASA DE SERRALVES

Transferindo-se este ano do Mosteiro de São Bento da Vitória para a Casa de Serralves, a XXI Exposição de Camélias do Porto abrirá as suas portas ao público no próximo dia 5 de março, às 14h30, prolongando-se até às 18 horas do dia seguinte.

Sob o tema “Porto aberto ao mundo. Desafios do Século XXI na Exposição XXI”, o certame voltará a eleger a “Melhor Camélia” e a “Melhor Camélia de Origem Portuguesa”, mas também, e pela primeira vez, a “Melhor Decoração de Mesa” e o “Melhor Arranjo Floral”.

O programa da Exposição inclui ainda uma Mostra de Trabalhos Escolares, o tradicional Mercado da Camélia, assim como várias oficinas em torno da camélia. Durante os dois dias da Exposição, regressa também o Teatro de Sombras Japonesas, apresentado pela artista plástica Beniko Tanaka, em três sessões a realizar na Capela da Casa de Serralves.

Fora de Serralves, a Exposição será também celebrada na Igreja dos Clérigos, que acolhe na noite de sábado, 5 de março, a partir das 21h30, um concerto pela Orquestra do Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga. Intitulado “Sinfonia com Camélias”, o concerto será também uma homenagem a Paulo Cunha e Silva, antigo aluno do Conservatório.

A antecipar a Exposição e inaugurando o programa oficial da Semana das Camélias, o Salão Nobre da Reitoria da Universidade do Porto será palco do lançamento do livro “Em torno de camélias, com um Porto”, às 18 horas do dia 3 de março, altura em que será também inaugurada uma exposição de pintura alusiva a esta obra.

Na sexta-feira, 4 de março, é a vez do Varandim da Torre dos Clérigos receber o espetáculo de abertura deste evento, a partir das 21 horas. O programa desta noite incluirá, além de um espetáculo de luz na fachada da Torre, vários momentos de dança e um concerto de ópera.

UMA SEMANA INTEIRA A CELEBRAR A CAMÉLIA

Envolvendo mais de duas dezenas de parceiros, o programa extraexposição, da responsabilidade do Pelouro do Ambiente, da PortoLazer e da Associação Portuguesa de Camélias, irá incluir este ano mais de 40 iniciativas, todas de acesso livre, ainda que algumas sujeitas a inscrição prévia e à lotação dos espaços onde se realizam.

Abrangendo todo o tipo de públicos, as atividades vão distribuir-se por mais de duas dezenas de espaços na cidade, tanto exteriores como interiores, entre jardins, quintas, praças, museus, teatros, igrejas, fundações, institutos, bibliotecas, universidades, palácios e outros locais mais ou menos inusitados, como o Mercado do Bom Sucesso, o Passeio dos Clérigos e até alguns elétricos dos STCP. Entre as novidades deste ano estão o renovado Palácio do Bolhão e a Feitoria Inglesa.

Com propostas para todo o tipo de idades e públicos, o programa desta edição inclui, por exemplo, uma oficina sensorial onde os invisuais são convidados a explorar o barro. Está agendada para quarta-feira, 9 de março, às 10 horas, na Fundação Escultor José Rodrigues. Os materiais desta Oficina farão depois parte integrante da exposição “Camélias Abertas ao Mundo”, a inaugurar no dia 12 de março.

O público infantil também não é esquecido e ao longo da semana constam várias atividades para os mais novos, como um workshop de cozinha dinamizado por Saphir Cristal, a 5 de março, no Mercado do Bom Sucesso, uma oficina de impressão, a realizar segunda-feira, 7 de março, na Associação de Gravura do Porto, ou um ateliê de pintura de azulejos, dia 10, no Palacete dos Viscondes de Balsemão.

Ao longo de toda a semana, será também possível apreciar o trabalho realizado por um grupo de seniores de uma instituição da cidade nas janelas de três elétricos dos STCP, que serão decoradas por flores produzidas nos mais diversos materiais reciclados.

Para quem quiser ficar a conhecer melhor os jardins da cidade, há várias visitas planeadas, por exemplo, à Quinta de Vilar d’Allen, que alberga uma das mais ricas coleções de camélias, mas também a outros jardins e recantos cuja história está intimamente ligada a esta flor, como sejam o Palácio do Bolhão ou a Feitoria Inglesa. Do programa fazem ainda parte as visitas à Igreja dos Clérigos, ao Museu Nacional Soares dos Reis ou aos bastidores do Teatro Nacional São João.

O cruzamento de culturas está também presente no programa desta edição, quer através dos espetáculos de marionetas de sombras japonesas (Palácio do Bolhão), quer através das oficinas de pintura sobre seda (Museu Nacional Soares dos Reis) ou da Festa da Lanterna do Vietnam, que culminará com o lançamento, sobre o lago do Jardim da Cordoaria, de 130 lanternas orientais em papel, ornamentadas com camélias, num espetáculo agendado para o final da tarde de sexta-feira, 11 de março.

A estreita ligação entre o chá e o vinho do Porto merece igualmente lugar de destaque no programa deste ano, de tal forma que o Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto (IVDP) e a Associação Portuguesa de Camélias lançam mesmo um desafio aos criadores na busca de uma camélia “Vinho do Porto”.

Para encerrar da melhor maneira esta longa e intensa semana dedicada à camélia, a Praça General Humberto Delgado será o epicentro de uma festa no sábado à tarde, sob o mote “Flower Power”, com música, performances, oficinas de contos e outras surpresas.

Tags
Show More

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close