Espetáculos Nacionais

Joana Espadinha apresenta ao vivo novo álbum em Ponte da Barca

A Casa da Cultura de Ponte da Barca foi o espaço ideal para vermos e ouvirmos Joana Espadinha, que apresentou o seu álbum “O material tem sempre razão”, que deriva de uma pergunta sobre música pop: “O que é que faz uma canção ficar no ouvido de alguém?”,contouao público fiel que não quis perder o concerto do passado sábado.
O disco foi lançado no passado mês de setembro, quatro anos depois da estreia com “Avesso”. Joana tem o nome mais ligado ao jazz, depois de ter passado pelo Hot Clube de Portugal e de ter feito estudos em jazz em Amesterdão, onde começou a escrever as primeiras canções.A par do álbum a solo, Joana Espadinha ainda dá aulas de música na escola do Hot Clube de Portugal e na Universidade de Évora, integrando também os grupos TheHappyMess e Cassete Pirata. Na televisão, ficou conhecida em março passado depois de ter participado no Festival da Canção. Foi, precisamente, Luís Nunes aka Benjamim, autor e compositor da canção “Zero a zero” com a qual participou no mítico programa da RTP, que produziu este novo álbum.
Ao ouvir as canções no palco, ficamos a conhecer uma artista atenta nas composições, sem medo de arriscar e abraçar um lado mais pop. Faz-nos lembrar, em parte, sons ‘mais anos 80’ celebrizados por Lena d’Água ou Fleetwood Mac.
“Jogo das cadeiras “ é o tema que abre o CD e também serviu de abertura do concerto. Em Ponte da Barca, Joana Espadinha ousou mostrar as 11 faixas do CD, como “Contramão”, “Vai ser melhor”, “Mais uma estrada” e “Sem emenda”, embora o público tenha reconhecido sobretudo “Leva-me a dançar” e “Pensa bem”, temas que têm frequência assídua nas rádios nacionais. Em “Voo raso” o público foi convidado a participar no refrão, tendo correspondido de imediato.
Em Ponte da Barca ouvimos também a polivalência dos instrumentos do álbum, como a viola, a bateria ou as teclas da responsabilidade dos músicos Margarida Campelo, Pir, Nuno Saraiva e Francisco Brito. Mas o que chamou mesmo à atenção foi a voz da intérprete, que tanto salta do jazz para o pop quase sem darmos conta.
A fugir ao alinhamento do álbum, Joana cantou a canção com que participou no mais recente Festival da Canção, “Zero a Zero”, bem como “Estou além” que tem como tema “uma dona de casa desesperada”.
E depois de 90 minutos de canções e muita interatividade com o público, este pediu mais, não podendo faltar no encore de novo o “Leva-me a dançar” e “Pensa bem” bem como “Por um fio”.

Texto e fotos: Nelson Costa

Tags
Show More

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close