Entrevistas

Raul Minh’alma: “Durante a Queda Aprendi a Voar”

Nesta época natalícia chega-nos o novo livro de Raul Minh’alma com mais uma história de amor e superação pessoal que promete dar ensinamentos essenciais para ultrapassar as fases negativas da vida. Vamos desvendar este livro com o próprio autor.

Por: Andrea Gonçalves

Pergunto Raul, quem é esta Teresa, personagem principal do seu livro?
A Teresa é uma estudante de direito que segue as pisadas da mãe, mas que vive apenas com o pai, e se vê embrulhada e dividida entre os seus problemas e dilemas pessoais e a doença do pai. É pragmática e pouco romântica, mas talvez seja apenas uma máscara. 

Apresente-nos agora o Duarte. E o que pretendeu criar com a história destes dois (sem abrir muito a cortina da história?)
O Duarte é um otimista e lutador, tendo em conta o passado difícil marcado também pela doença mental do irmão. É romântico, sonhar e brincalhão e vai descortinar outras facetas de Teresa que a vão surpreender. 

“PORQUE MESMO QUE DOA PRECISAMOS DE SEGUIR EM FRENTE” estas palavras são suas. Como pode este livro nos ajudar a perceber isso?
Ainda que episódios negativos aconteçam no decorrer da história a mensagem é sempre continuar, apesar da dor, apesar da falta de vontade, apesar do choro. No fundo é esta a mensagem que passo neste livro e que de certa forma é transversal a toda a minha escrita. É daquelas mensagens que todos temos de ter sempre bem marcadas na nossa memória.

Este livro também nos leva a um tema, que para mim é dos mais importantes: a Saúde mental. Foi uma ideia pensada ao construir o esqueleto desta história ou apareceu depois, por algum motivo específico?
Foi a ideia original. Queria muito abordar este tema, as doenças mentais e em especial a depressão. Escolhendo o tema e a mensagem que queria pensar, depois foi o trabalho de construir a história e os personagens para a interpretarem e transmitirem ao público de uma forma cativante e eficaz.

Três ideias chaves ou frases para a superação pessoal, Raul.
Continuar, apesar da dor. Sorrir, apesar da dor. Acreditar, apesar da dor.
Quanto tudo nos faltar, ainda nos temos a nós. A vida joga a favor dos corações alegres e daqueles que não se rendem.

O que espera que este seu sexto romance lhe traga, que os outros ainda não conseguiram? Internacionalização?
Não espero que me traga nada em especial, quero apenas que ajude muitas pessoas, que ilumine muitos caminhos, que expanda muitas consciências e que continue a fazer e a cimentar o trabalho que os irmãos mais velhos começaram. Um percurso de relevo faz-se, acima de tudo, por consistência e é isso que espero deste livro.

Sobre o AUTOR:
Nasceu em 1992, é natural do Marco de Canaveses e formado em Engenharia Mecânica na FEUP. Começou a escrever poesia com dezassete anos e em 2011 lançou o seu primeiro livro de poemas com o título Desculpe Mãe. Seguiram-se vários livros até conhecer, em 2016, com apenas vinte e quatro anos, o reconhecimento do público com o bestseller Larga Quem Não Te Agarra, um dos livros de ficção mais vendidos em Portugal, e que chegou ao Brasil em 2017. No mesmo ano, lançou Todos os Dias São para Sempre, confirmando-o como um autor bestseller que conquistou o coração dos leitores portugueses. Em 2018, chegou ao mercado o seu romance Foi sem Querer que Te Quis, que lidera os tops nacionais de vendas, tornando-se a sua obra mais vendida até ao momento.

Tags
Show More

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close