Sociedade

Porto é a Capital do Circo Contemporâneo de 3 a 7 de julho

14 Espectáculos e 20 apresentações vão ‘montar tenda e armar barraca’ na Invicta

A quarta edição do Festival Trengo está aí e está na rua. São sensivelmente duas semanas o tempo que nos separa do frenesim nos Jardins do Palácio de Cristal, no Jardim da Praça da Corujeira, em Campanhã, no Teatro do Campo Alegre, bem como na Praça D. João I. Deste modo, entre os dias 3 e 7 de Julho, o circo contemporâneo vai animar o espaço público da urbe nortenha e oferecer 14 espectáculos, que corresponderão a 20 apresentações. Serão oito nacionalidades, as que estarão representadas pelos artistas que se deslocam ao Trengo. Com a portuguesa serão nove. A pensar na ocupação positiva do espaço público e na fruição gratuita dos espectáculos por parte do público, o Festival Trengo terá apenas um espectáculo pago: “Le Vide – Essai de Cirque”, dos franceses Fragan Gehlker, Alexis Auffray, & Maroussia Diaz Verbèke, – uma odisseia entre o circo eminentemente físico e a performance, com três apresentações no Teatro Campo Alegre (3, 5 e 6 de Julho às 21h00). O bilhete tem um valor acessível e vários descontos. Depois da apresentação da programação, no passado dia 13 de Junho, quinta-feira, no Café Teatro do Campo Alegre, que contou com a presença de Tiago Guedes, director artístico do Teatro Municipal do Porto, Julieta Guimarães e Vasco Gomes, representantes da Erva Daninha e directores artísticos do festival e a representante da empresa municipal substituta da Porto Lazer, a recém-criada Ágora, Ana Cláudia Almeida, o programa dos espectáculos que compõem o Trengo segue em documento anexo a esta nota de imprensa. Com o propósito de cativar o público para as propostas artísticas que oferece, o Trengo releva, sem desprimor de outros, os seguintes espectáculos: “Sweet Drama”, que terá honras de abertura quando baterem as 19h00 do dia 3 de Julho, quarta-feira, na Praça D. João I – Um combinado de skateboard, malabares, teatro, música e pintura cuja mistura redunda em alguma extravagância visual para o espectador; “Clowns” que nos remete para o sudoeste alentejano e cruza três artistas de pátrias distintas que se encontram com o mentor do espectáculo Giacomo Scalisi (direcção artística e encenação) e pode ser visto no dia 6 de julho, sábado, pelas 16h00 nos Jardins do Palácio de Cristal. Por seu turno, “Gravitas”, de Ofir Yudilevitch, de Israel – uma fantasia cujo móbil temático é a gravidade – terá direito a uma apresentação a 6 de Julho, pelas às 17h00, também nos Jardins do Palácio de Cristal. No mesmo local decorrerá “CopyLeft”, da Bélgica, um artefacto em movimento que deriva num misto entre o malabrismo e dança contemporânea cujas apresentações terão lugar a 6 (17h30) e a 7 de Julho (16h00); a jogar em casa, a Erva Daninha, apresentará “Esqueci”, trabalho com os jovens do Centro Educativo Santo António, no sábado, dia 6 de julho (11h00), naquele local sito à Rua do Melo.

Foto: DR

Tags
Show More

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close