EntrevistasGaleriaNotícias

Ruy Silva vai submeter-se a um microtransplante capilar

 

Aos 40 anos, o artista plástico Ruy Silva decidiu travar a calvície, submetendo-se, esta semana, a um tratamento ao cabelo. “Há muito que tinha pensado em realizar este tratamento, uma vez que valorizo muito a imagem e, em determinadas alturas, quando me via ao espelho, a minha autoestima quase que me dizia que eu tinha que fazer alguma coisa para travar a queda que, com o passar dos tempos, se tem vindo a acentuar, mais principalmente na coroa”. Nesse sentido, “tenho vindo a recolher informação junto de quem já fez e se mostra muito satisfeito com os resultados”, decidindo então “confiar nas mãos de Carlos Portinha, director clínico responsável pela intervenção que há muito deu provas do seu sucesso”.

Ruy Silva vai fazer este tratamento, à semelhança de muitas figuras públicas nacionais, que já se renderam a esta novidade, entre as quais o futebolista Carlos Martins, os estilistas José António Tenente e Alda Gomes, o actor Ricardo Trepa e Afonso Vilela, manequim / modelo.

O artista plástico resolveu submeter-se ao tratamento na «Clínica de Saúde Viável», no Porto, que opera na área da medicina estética, que se dedica ao tratamento definitivo da calvície através do microtransplante capilar FUE, tornando-se, posteriormente, embaixador deste espaço na área das artes. A clínica tem vários embaixadores de diferentes áreas. “Enquanto figuras públicas, são portadores de mensagens dos nossos serviços e, como não tínhamos nenhum embaixador na área das artes, escolhemos o Ruy Silva, porque há muito que conhecemos a sua arte e não temos dúvidas de que passará o testemunho importante a outras pessoas daquilo que aqui fazemos”, referiu Paulo Ramos, director da clínica.

Autoestima como prioridade

Para este responsável, a autoestima é uma das principais razões que leva os pacientes a esta clínica, que se encontra de portas abertas há cerca de cinco anos, mas “temos muitos casos de pessoas que nos procuram por razões profissionais, nomeadamente pessoas ligadas ao teatro, por moda, aqueles que se sentem prejudicados pela fala de cabelo e outras por necessidade pessoal, nomeadamente as senhoras que não têm sobrancelhas”.

A poucos dias da intervenção, o artista plástico não esconde a ansiedade. “Um dos meus medos foi sempre a dor que poderia sentir mas, depois de falar com os responsáveis, que me garantiram que a mesma não iria acontecer, não hesitei e estou muito confiante nesta equipa, que há muito me está a acompanhar”.

A obtenção de cabelo, segundo os responsáveis pelo espaço, é feita pela extracção de folículos capilares de áreas do couro cabeludo denominadas doadoras, “utilizando uma técnica de última linha em transplante capilar designada FUE, em que os instrumentos cirúrgicos utilizados são dos mais evoluídos a nível mundial, permitindo-nos obter folículos individuais, duplos, triplos ou quádruplos de acordo com as necessidades específicas de cada caso, sem causar traumatismos”.

Com a aplicação desta técnica, é possível recuperar a fisionomia capilar de cada um. O microtransplante capilar FUE é uma solução definitiva e permanente para a calvície, garantem os responsáveis pela clínica.

Recorde-se que o artista plástico tem patente, até ao final de Junho, na Galeria Espaço Arte Livre, em Lisboa, uma exposição que viaja pelos seus 25 anos de carreira e que, segundo este criador de arte, é uma “viagem serena, que cada obra nos transporta para uma dimensão única do toque e do apelo imaginário ao prazer dos nossos sentidos”.

Tags
Show More

Related Articles

11 Comments

  1. Força Ruy. Lute pelo bem estar emocional. Fui ver a sua exposição a Lisboa está semana. ADOREI!!!!! Existe em cada canto uma cumplicidade entre a nossa alma e aquilo que vemos e sentimos ao ver a sua arte. anjinhos e parabéns AIRinformacao por partilhar estas notícias.

  2. Excelente matéria. Parabéns à AIR pelo trabalho de divulgação que faz em prol da cultura. O jornalismo de parabéns. Precisamos de profissionais com este perfil.

  3. Acho que faz bem Rui. Deve aproveitar certamente a oferta que a clinica lhe está a dar a custo zero. Tenho pena de nao poder ser embaixador da minha area profissional. Sou simples operário. Boa sorte.

  4. É isso aí meu amigo cuidar da aparência faz parte da nossa vida, mas nem acho que esta assim tão mal, até gosto de ver assim como esta, até porque eu aprecio homens carecas. beijos desejo tudo de bom..

    1. É isso aí meu amigo cuidar da aparência faz parte da nossa vida, mas nem acho que esta assim tão mal, até gosto de ver assim como esta, até porque eu aprecio homens carecas. beijos desejo tudo de bom

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close