Economia

Porto: Compradores estrangeiros privilegiam zona da Foz do Douro

Foz do Douro e Nevogilde, no Porto, são as zonas com o preço mais elevado.

A Engel & Völkers divulga os resultados do seu Market Report Portugal, um relatório que analisa as transações imobiliárias intermediadas pela multinacional alemã no período 2020-2021 nos mercados imobiliários de Lisboa, Porto e Vila Nova de Gaia, Algarve e Oeste. As áreas mais exclusivas de Lisboa e Porto continuam a registar uma forte procura.
A Cidade do Porto agrada a vários perfis distintos e destaca-se pela elevada procura de propriedades tipo moradias, inclusivamente no centro histórico. De 2020 para 2021 registou-se um aumento no preço médio por metro quadrado em todas as zonas do Porto.
As zonas nobres da Foz do Douro e Nevogilde são as zonas em Portugal com o preço médio mais elevado nas transações intermediadas pela Engel & Völkers, respetivamente 5.000 euros/m2 e 5.100 euros/m2 e onde por norma se procuram por dimensões que rondem os 300 metros quadrados. Os investidores estrangeiros privilegiam a zona da Foz do Douro, o que também explica o facto de a grande maioria das operações nesta zona terem como destino a habitação permanente. A zona da Foz do Douro e de Nevogilde destaca-se pela vista e proximidade com o mar, adicionalmente a dimensão dos lotes e respetivas moradias é também valorizado, com as casas a serem consideradas como únicas para famílias de elevado rendimento.
Já o Centro Histórico é escolhido pela sua história, proximidade com o rio e pela mística associada às casas antigas, históricas e reabilitadas. Bonfim, Cedofeita e Centro Histórico registam uma elevada procura para investimento, representando cerca de 30 e 20% das operações.
“O Porto é uma cidade familiar e para famílias. Esta é a interpretação que se faz do perfil dos compradores, outro dado curioso é o de ainda ser uma cidade, maioritariamente, ainda desconhecida para o comprador estrangeiro, com exceção de duas zonas: Foz do Douro e Centro Histórico, o que também explica o facto de quase a totalidade das operações terem como destino a habitação permanente, com exceção da zona do Bonfim, Cedofeita e Centro Histórico onde a procura para investimento continua a dominar e a chamar cada vez mais a atenção.” – refere Gustavo Soares, Managing Director, Engel & Völkers Porto.
Juan-Galo Macià, Presidente da Engel & Völkers para Espanha, Portugal e Andorra acrescenta “O Porto é uma cidade que cada vez mais atrai um público internacional que procura um lifestyle único que une com sucesso a vida junto ao mar à proximidade de uma grande cidade. Os investidores tendem a procurar cada vez mais reabilitar imóveis para residência fixa, especialmente nas zonas costeiras.”

Tags
Show More

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close