Videos

Coliseu do Porto esgotado para celebrar 20 anos de carreira de Pedro Abrunhosa (Com vídeo)

O músico e compositor nortenho Pedro Abrunhosa subiu ontem, dia 29, ao palco do Coliseu do Porto para uma data extra, que antecipa os concertos marcados para hoje e amanhã, todos eles totalmente esgotados.
Neste espectáculo especial, de nome «INTEIRO», Abrunhosa assinala os seus 20 anos de carreira e revisita toda a sua discografia enquanto músico, compositor e cantor, desde «Viagens» – o disco de estreia, reeditado em Novembro de 2014 –, até ao mais recente «Contramão».
As luzes da sala apagaram-se e as reacções do público fizeram-se ouvir de imediato. Dez minutos antes das 22 horas o cantor “nortenho” deu entrada no palco de lanterna na mão e foi aplaudido intensamente após uma longa introdução musical feita pelos cerca de 20 músicos em palco. «Senhor do Adeus» deu no fundo o mote de partida para um espectáculo que não deixou de ser intimista pois, por várias vezes, o cantor interagiu com o público. E porque a cumplicidade era visível, o cantor convidou o público a participar em palco com o tema «Hoje é o teu Dia».

Pedro Abrunhosa teve uma estreia brilhante no Coliseu do Porto e afirmou que “estes concertos são um encontro com os músicos com o público, do cidadão com a sua terra, do amigo com os amigos”.
Na abertura, e inicialmente sem grandes palavras, ouviram-se canções como «Senhor do Adeus», «Pode o Céu ser tão Longe» e «Viagens». Aquele que há muito é considerado um dos nomes mais fortes da música em Portugal levou por várias vezes ao rubro o coliseu com canções como «Todos lá para Trás», «Acima & Abaixo» ou «Fazer o que ainda não foi feito”.

Visivelmente satisfeito com o calor humano que recebia o cantor falou de «Amor» e alertou para os problemas que afectam o mundo e Portugal. “E porque o homem também chora”, Abrunhosa não escondeu a emoção quando dedicou este seu primeiro concerto comemorativo a um músico, amigo e companheiro de estrada, que o acompanhava há vários anos: Jorge Sousa, conhecido como «Jojo», falecido em Dezembro de 2014, cujas imagens acompanhavam a canção «Se houver um Anjo da Guarda», que lhe dedicou.
O cantor surgiu acompanhado por convidados que o vão acompanhar em todos os concertos da digressão nacional de «INTEIRO». A presença de Camané marcou um dos momentos de grande cumplicidade entre os artistas e o público, na interpretação dos temas «Ilumina-me» e «Para os Braços da Minha Mãe».
O silêncio da sala também se ouvia quando o cantor se sentou várias vezes ao piano interpretando as suas inigualáveis baladas.

Os músicos Mário Barreiros (guitarra) e Edgar Caramelo (saxofone) – que integraram, a formação original dos Bandemónio – marcam presença ao lado de Pedro Abrunhosa em diversos momentos do espectáculo.
Estes três concertos do Coliseu do Porto contam ainda e em exclusivo, com o contributo especial do músico, performer e artista plástico João Ricardo de Barros Oliveira.

A noite corria bem e o público estava envolto na atmosfera do espectáculo. Bastaram apenas os primeiros acordes de «Socorro», já perto da meia-noite, ou de «Não posso mais», para surgirem logo os aplausos e a participação vocal do público, que o cantor também fez por merecer. Sorridente e em boa forma física, Abrunhosa dificilmente parava enquanto cantava, desafiando também o público a acompanhá-lo nos saltos à moda do Norte.

Estes concertos servirão para celebrar 20 anos do percurso de Abrunhosa na música, passando ainda pelo Meo Arena, em Lisboa, no dia 7 de Fevereiro, e Multiusos de Guimarães a 14 de Fevereiro.

António Gomes Costa
Fotos: Hugo Viegas
[metaslider id=3273]

Tags
Show More

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close