Gastronomia

Sabores de Setúbal à mesa no centro histórico do Porto

Esta história é contada a seis mãos. Cristina Bacelar, Adelaide Figueiredo e Nuno juntaram-se num projecto gastronómico que prima pela diferença num espaço acolhedor e bastante familiar no número 51 da Rua da Taipas, no centro histórico do Porto. Setúbal é servido à mesa de segunda a segunda do meio-dia à meia-noite no Restaurante e Mercearia Capela Cristina. A cozinheira Adelaide não adultera as receitas da cidade à beira-mar e o choco, especialidade setubalense, é rei e senhor da ementa. O choco, esse molusco grande, é cortado às tiras e servido com batata frita e salada. “Decidimos trazer este conceito do choco para o Porto”, afirma.
E assim é. Choco frito, feijoada de choco, sande de choco frito, são propostas da carta que contém também camarão frito em azeite, fatia de queijo da serra e folhado de chévre como entradas, mais folhado de carne e bife à capela nos pratos principais e nas sobremesas doces à capela que podem ser uma tarte de alfarroba, uma mousse de chocolate ou de manga sem açúcar. O prato do dia também é uma opção e os vinhos são escolhidos a dedo.
“Quisemos trazer os sabores de Setúbal para o Porto”, explica Cristina Bacelar, professora de Educação Musical num colégio de Vila Nova Gaia, fundadora e elemento do grupo musical As 3 Marias, portuense de gema, apaixonada por Setúbal com uma ligação de mais de 25 anos a esta terra. “A serra da Arrábida é uma paisagem absolutamente extraordinária, é dos poucos sítios em Portugal onde se pode respirar o silêncio”, comenta. Cidade simpática, sempre no coração.
Cristina trouxe mobília dos anos 30 e 40 de sua casa, o tecto foi pintado de dourado, a decoração remete para outros tempos, as toalhas de mesa lembram o antigo papel de parede, e assim nasceu o Restaurante e Mercearia Capela Cristina, na Rua das Taipas. Local com capacidade para 24 pessoas e com um conceito trazido do sul para o norte. “Queremos que se torne um espaço onde as pessoas se sintam bem, que dêem boas gargalhadas, que comam e bebam bem”, refere Cristina Bacelar. “Queremos que as pessoas se sintam em casa, uma casa que faz jantares para os amigos”, acrescenta a cozinheira Adelaide.
Um espaço intimista que, de vez em quando, terá música ao vivo como acompanhamento. Não será um sítio específico de música, ela acontece quando houver vontade e disponibilidade. “Apetece-me que seja um espaço que as pessoas comecem a descobrir calmamente, que o sintam como uma segunda casa, como um prolongamento das suas casas”, adianta Cristina Bacelar.
É uma aventura, um desafio, uma aprendizagem. Cristina Bacelar não vira a cara a projectos que lhe permitam sair da sua zona de conforto. “Gosto de aventuras, de me meter em coisas que não têm nada a ver com o que faço habitualmente”. Na sua opinião, faz sentido o restaurante Capela Cristina nascer na sua cidade e estar na zona histórica do Porto. “Conseguir mostrar às pessoas da tua cidade algo que é novo, com pessoas com quem partilhas a mesma linguagem, os mesmos costumes, e alguns hábitos culturais, é extraordinário”. As peças encaixam-se e tudo faz sentido. “Estou com pessoas de quem gosto muito, em quem confio bastante, e além de serem excelentes profissionais no que fazem, são pessoas com muito sentido de humor”.

Tags
Show More

Related Articles

7 Comments

  1. Parabéns à Cristina, à Adelaide e ao Nuno. Como setubalense fico muito orgulhoso de ver uma referência da minha cidade fora de portas! Até podem dizer quem o “Choco” em Setúbal é que é bom… Mas quando a coisa é feita com amor, sempre bom em qualquer parte.! Da próxima que for ao Porto hei-de ir aí. Abraço vocês são “Absolutamente Fabulosos”. Abraço
    Luis aleluia

  2. Adorei esta reportagem. Um recanto na baixa do Porto que agora se abre à cidade. As imagens estão fantásticas. Vou lá passar com toda a certeza.

  3. O Porto tem estes recantos especiais. Uma feliz ideia de trazer um dos pratos mais apreciados de Setúbal para o Norte. Quero lá ir. Fiquei com vontade de provar a feijoada, de beber um bom vinho e de me deliciar com as sobremesas.

    Paulo Brito
    Braga

  4. Gostei muito de ler a reportagem e de saber que o Porto está cada vez mais atractivo. Gosto das pessoas, da oferta cultural e de espaços como este. Sou de santo Tirso e vou la passar com toda a certeza porque adoro o choco de Setúbal que agora chega à invicta….
    Sucesso!!!!!!
    Ana

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close